A minha opinião sobre a cerimónia dos Oscars

Foi uma longa noite em Hollywood (e para quem assistiu deste lado do Atlêntico nem se fala), que culminou com a vitória do galardão principal por “Moonlight”. Contra todas as expetativas, o filme de Barry Jenkins venceu a estatueta principal, superando “La La Land”, o favorito da noite, e que durante alguns minutos foi mesmo o suposto vencedor.

De facto, a cerimónia terminou numa reviravolta digna dum filme. Warren Beatty e Faye Dunaway anunciaram inicialmente que o vencedor de melhor filme era o musical de Damien Chazelle, e a equipa subiu toda ao palco do Dolby Theatre para receber de forma emotiva o galardão mais importante da sétima arte… mas o prémio não era para eles. Devido a um erro na entrega dos envelopes, o verdadeiro vencedor foi “Moonlight”. Isto resultou num momento histórico, sendo que nunca tinha acontecido um erro desta dimensão numa cerimónia da Academia. Sobra o gozo na Internet e um aviso para o futuro.

É claro que erros acontecem, mas este foi lamentável e devia ter sido evitado. Foi duro ver toda a equipa de “La La Land” perceber que não tinham ganho, mas de seguida estes reagiram todos com uma maturidade louvável, entregando o prémio à equipa de “Moonlight” de uma forma bela. Mesmo assim, é algo que nunca devia acontecer.

Quanto à cerimónia em assim, foi um espetáculo agradável, das melhores que os Oscars nos ofereceram nos últimos anos. Jimmy Kimmel mostrou-se à altura do desafio, numa prestação fenomenal e bastante equilibrada, com a forte crítica política que era exigida, mas sem nunca exagerar. A cerimónia nunca foi aborrecida, e teve a sua quanta dose de momentos memoráveis, como os turistas convidados por Kimmel ou a sua disputa constante com Matt Damon, que foi hilariante.

Quanto aos vencedores em si, foi cheia de surpresas. A maioria apostava numa noite de sonho para “La La Land”, incluindo eu, que acabei por errar grande parte das minhas previsões. Mesmo assim, o musical foi o mais galardoado da noite, com seis estatuetas. “Moonlight” conseguiu três. As maiores supresas vieram nalgumas categorias técnicas, que tinham o favoritismo de “La La Land”, e claro, na de melhor filme.

“Moonlight” é um excelente filme, e isso é indiscutível. No entanto, já é mais discutível se num ano em que a situação política americana não fosse tão conturbada o filme teria ganho. Parece-me que isto foi uma decisão política da Academia, uma forma de marcar uma posição, o que é lamentável, pois isto devia ser sobre os filmes e não sobre pontos de vista políticos. E mais uma vez, não estou de acordo com a Academia na escolha de melhor filme, mas isso já é algo pessoal.

Assim, foi uma boa cerimónia, com uma grande apresentação de Jimmy Kimmel, mas que teve um final que quase que arruinava (se bem que esse mesmo final é que está a fazer com que a cerimónia seja falada), e que teve algumas escolhas demasiado políticas, e diria eu, até algumas injustiças. Mas mesmo assim foi um espetáculo cativante

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: