Crítica: A Favorita (The Favourite) – 2018

Yorgos Lanthimos é um dos autores mais interessantes a trabalhar na atualidade. Filmes como A Lagosta e O Sacrifício de um Cervo Sagrado, adorados por uns e odiados por outros, sem grande margem para meios termos, são das obras mais originais dos últimos anos, assentes sempre em personagens deslocadas da realidade e diálogos que são, no... Continue Reading →

Crítica: Glass – 2019

Quando M. Night Shyamalan apresentou ao mundo Fragmentado, era difícil prever que o aparentemente pequeno thriller era parte de algo muito maior. Apenas na última cena do filme ficámos a saber que o que tínhamos visto existia no universo de O Protegido, a desconstrução dos super-heróis que Shayalaman realizou em 2000. Afinal, Fragmentado era uma... Continue Reading →

Crítica: Roma – 2018

Demorei a conseguir escrever sobre Roma. É um filme que exige reflexão - não só enquanto se o vê, mas principalmente depois. Roma é uma ode à vida, um elogio supremo ao espírito humano, num magnífico e poderoso retrato daquilo que Cuáron vê na sua infância. Ocasionalmente aparecem filmes assim - filmes que nos recordam... Continue Reading →

Crítica: Venom – 2018

Após acabar de ver Venom, ficou-me uma questão que considero pertinente: será que os argumentistas, quando escreveram a frase "like a turd in the wind", repetida infinitas vezes em trailers, spots televisivos e tudo o que é marketing, sabiam que estavam a descrever perfeitamente o seu filme? Ou será pior do que isso e acharam apenas... Continue Reading →

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑